História do calçado desportivo

História do calçado desportivo

Etimologia: Sapato; do turco zabata, com o mesmo significado, e este do árabe.

Etimologia: Calçado; do latim Calceus, com o mesmo significado, e este igualmente do latim, calx, calcanhar.

Acredita-se que a primeira protecção para os pés (feita em couro de animais) terá surgido há cerca de 5.000.000 de anos, durante um dos períodos glaciares. Esta dedução baseia-se nas circunstâncias climatéricas dessa época que terão forçado à protecção das extremidades inferiores, os antropólogos acreditam também que não existia diferenciação entre “sapato” direito e esquerdo.

As evidências mais antigas aparecem em pinturas rupestres localizadas em Espanha e sul de França, datadas de 10 mil a.C.

Os sapatos mais antigos conhecidos datam de 8000 a.C., tratando-se de um par de sapatos de nativos Norte Americanos, onde se pode verificar diferenciação entre sapato esquerdo e direito.

Figura nº1 Sapatos Nativos Norte Americanos 8000 a.C.

Segundo alguns investigadores, o Homem do neolítico (3300 a.C.) utilizava calçado constituído por uma peça em couro tratado colocado a envolver o pé da sola para o peito e amarrado com tiras igualmente em couro.

Os sapatos em couro mais antigos conhecidos foram encontrados na Arménia e são datados de cerca de 3500 a.C.

Figura nº2 Sapato em couro 3500 a.C.

A múmia, “Ötzi o Homem do gelo”, encontrada nos Alpes italianos, calçava um par de sapatos à prova de água, aparentemente feitos para caminhar na neve. A sola era feita de pele de urso, a parte superior em couro de veado e uma rede feita de cascas de árvores. Como isolante térmico, na função de meias, Ötzi utilizava tufos de erva macia, que envolviam o pé.

Figura nº3 Sapato recuperado de Múmia ” Ötzi o Homem do gelo” e sua reconstituição

No tempo da primeira era olímpica (776 a.C. – 435 d.C.) os atletas que participavam nos jogos faziam-no descalços, no entanto o império Grego/Romano era tão vasto que muitos atletas vinham participar nos jogos desde climas mais frios e faziam-no com calçado que não passava de sandálias de couro.

No início, as sandálias eram vistas como um sinal de “provincianismo”, contudo quando alguns atletas calçados começaram a ganhar as provas, a opinião do público alterou-se. Primeiro desconfiaram de batota, mais tarde, quando se aperceberam que a sola em couro oferecia maior tracção, todos os atletas passaram a utilizá-las.

Os Etruscos introduziram as tachas de metal na sola das sandálias com o propósito de obter maior tracção e durabilidade.

Figura nº 4e 5 Sapateiro Grego e Sandálias Romanas

Apesar do calçado evoluir com o passar dos tempos, os atletas continuavam a utilizar calçado que pouco mais fazia que cobrir os pés. Alguns tipos de calçado eram engenhosos, por exemplo na civilização Maia existia um desporto (uma mistura de futebol e basquetebol) jogado até à morte por guerreiros que utilizavam um tipo de calçado feito de palha entrelaçada.

O ressurgir da prática desportiva no Reino Unido pelo século XVIII, obrigou ao desenvolvimento de calçado leve e flexível com capacidade de tracção, tendo surgido o sapato em couro com bicos/tachas para tracção.

 

Figura nº6 Botas para Futebol nos anos 1890

 

Figura nº7 Sapatos e bico nos anos 1900

 

Ninguém sabe ao certo quem fez ou comprou o primeiro sapato desportivo, encontrando-se os primeiros registos de um par de botas para a prática de futebol, na lista do guarda-roupa de Henrique VIII de Inglaterra, fabricadas pelo sapateiro pessoal de sua majestade, Cornelius Johnson em 1525.

Na década de 1830, são fabricados, no Reino Unido, os primeiros pares de “plimsolls”, sapatilhas para ginástica pela ” Liverpool Rubber Company”, que virá posteriormente a tornar-se na Dunlop.

Sabe-se que a 19 de Maio de 1832, Wait Webster de Nova Iorque patenteou um processo de “aplicar solas de borracha índia em sapatos e botas” e que poderia estar a pensar na fabricação de calçado desportivo.

Em 1839, nos Estados Unidos, Charles Goodyear patenteou a vulcanização, que consiste na aplicação de calor e pressão à borracha natural, estabilizando as suas propriedades físicas e químicas.

A companhia “The candee Company” de New Haven, Connecticut foi o primeiro fabricante a produzir calçado com o processo de vulcanização “Goodyear”.

Por isso o primeiro sapato desportivo não deveria ser muito diferente do que foi produzido em 1868 possuía sola de borracha e estrutura superior em lona com atacadores.

Desde os primeiros pares artesanais até à produção em série

A alta sociedade chamava-lhe “croquet sandal”, um tipo de desporto, e também os utilizavam para a prática de “Tennis”, não é necessário dizer que estávamos perante um tipo de calçado caro, o catálogo “peck and Snyder Sporting goods” apareciam a 6 Dólares o par.

Por volta de 1873, já era chamado de “sneaker” (sapatilhas) e em 1897 o catálogo “sear’s” apresentava os “Sneaks” a apenas 60 cêntimos de Dólar o par, contribuindo para que fosse considerado o sapato de desporto por excelência.

Figura Nº8 Página com anúncio a sapatos para ténis em 1922

No início da década de 1900 a Spalding produziu o primeiro calçado designado especificamente para a prática desportiva nos Estados Unidos. Os atletas utilizavam-no para a competição e era constituído por uma sola e uma estrutura superior, ambas em couro macio, com atacadores.

    Figura Nº9 Botas Converse anos 1900

Figura nº10 Sapatos de atletismo com bicos dos anos 1920

              

Nos anos 1930, os sapatos de corrida eram feitos em couro ultra fino (espessura tipo papel) com uma sola em “crepe” borracha natural. Apesar de tudo eram leves (238 g) e flexíveis.

Figuranº11 Sapato para corrida anos 1930

Desde cedo, o couro se tornou o material de escolha para o calçado desportivo, pelas suas características de suporte, capacidade de respiração e ajuste, a lona torna-se igualmente um material muito popular por aliar a sua versatilidade e preço.

 

Figura nº12 Sapatos para ténis; Dassler 1931

Após II guerra mundial a dificuldade em conseguir materiais aguçou a astúcia, surgindo calçado multidesportivo fabricado com excedentes militares, como por exemplo o modelo fabricado dela Gebrüder Dassler Schuhfabrik, recorrendo a materiais das tendas militares para o corte e depósitos de combustível de aviões para a sola.

Figura nº13 Sapatos multidesportos; Dassler 1946

Alguns desportos exigiam “bicos”, “tachas” ou “Pitons” de metal, no entanto a maioria do calçado, qualquer que fosse o desporto, apenas era constituído por uma estrutura superior simples e uma sola, o calçado desportivo mais popular como Converse ou Keds apenas possuía uma sola rasa e uma estrutura superior em lona. As escolhas de um atleta variavam entre uma bota para basquetebol ou um sapato para ténis/ corrida.

Figura nº14 Sapatos de treino (multiusos) em lona; Converse anos 1950

A importância das tecnologias

A recuperação económica pós guerra permitiu a aplicação de novos materiais e tecnologias, como as primeiras botas de futebol com “pitões”/”pitons”/travas substituíveis com rosca, ou a primeira sola intermédia em espuma para amortecimento de impactos.

Figura nº15 Botas com pitons substituíveis; Puma 1952

Figura nº16 Sapatos corrida com sola intermédia em espuma; Tiger 1957

No final da década de 1960, o jogging tornou-se um desporto popular nos E.U.A. Quanto mais pessoas começavam a correr, a procura de calçado mais protector e confortável aumentava, ao mesmo tempo outros desportos começavam cada vez a ser mais populares, houve necessidade do desenvolvimento de sapatos cada vez mais específicos. Estas mudanças forçaram ao aproveitamento e aplicação de novos materiais e tecnologias.

A New Balance introduziu os primeiros sapatos para correr fabricados em massa com diferentes larguras, numa época em que existiam poucos corredores, a sola patenteada com o design “Ripple” evitava as “canelites” segundo o fabricante.

Figura nº17 Sapato trackstar; New Balance 1960

 

 

Figura nº18 Sapatos de corrida Adidas; anos 1960

A força do marketing

Nos anos 70, o exercício físico continuou a ganhar popularidade, este crescente público de novos praticantes de corrida surgiram sapatos e marcas novas com materiais e tecnologias mais leves e inovadores.

Figura nº19 Anúncio a sapatos de corrida com sola “Waffle” e corte em poliéster; Nike 1973

 

Figura nº20 Primeiros sapatos com sola intermédia com 4º em varus para aumentar a estabilidade, Brooks 1977

 

 

Figura nº21 Sapatos de corrida com tecnologia Nike Air, Nike 1979

No basquetebol por exemplo, passou-se de sapatos de sola em borracha látex com estrutura superior em lona (Como os converse All Star), para sapatos em couro ou materiais sintéticos, com solas intermédias em poliuretano ou E.V.A. de compressão moldado, com tecnologias de amortecimento como Nike Air, Asics Gel ou Reebok Dmx (apenas para nomear algumas), solas específicas para Indoor ou Outdoor e estruturas de apoio como faixas de velcro, reforços em carbono etc., muito diferente do que era chamado calçado de basquetebol nos anos 1970.

Figura nº22 Primeiro modelo desenhado especificamente para mulheres; Reebok 1982

Nos anos 80 surgiram algumas das inovações mais importantes, como a sola intermédia de dupla densidade ou as solas em varus, aumentando a estabilidade. Ao mesmo tempo que foi uma época de experimentação tecnológica, cada marca via-se obrigada a apresentar novidades, especialmente novas tecnologias e materiais.

Figura nº23 Primeiro sapato de corrida com sola intermédia de dupla densidade para controlo de pronação; Asics Tiger 1982

 

Figura nº24 Primeiros sapatos com microcomputador incorporado; Adidas 1984

É igualmente nesta época em que os patrocínios se tornam milionários, o mais falado são o caso de Michael Jordan, tendo assinado um contrato com a Nike, foi notícia pela liga NBA de basquetebol. Cada jogo no qual utilizou as botas Nike coloridas, não conformes com o regulamento da liga, a Nike aproveitando-se do facto pagou as multas e lançou uma campanha afirmando que as botas eram tão boas que tinham sido consideradas ilegais pela NBA.

Figura nº25 Sapatos basquetebol coloridos Air Jordan; Nike 1985

O calçado para correr também evoluiu de uma forma dramática. No inicio dos anos 70 apenas possuíamos um tipo de forma e formato (o Semicurvo), com uma construção colada com cartão em pouco ou nenhum material na sola intermédia. Hoje em dia podemos escolher entre três tipos de formatos: “Direito”, “Semicurvo” ou “Curvo”, vários tipos de construções, densidades de sola intermédia, tipos de sola de acordo com o terreno e mesmo características de apoio para compensar o ciclo mecânico do utilizador.

Figura nº26 Sapatos Air Max (tecnologia visível), Nike 1987

 

Figura nº27 Sapatos com câmaras insufláveis que se ajustam ao pé; Reebok 1989

 

Figura nº28 Sapatos com tecnologia de ajuste sem atacadores; Puma 1991

Figura nº29 Sapatos com luz visível na sola activada por movimento, LA Gear, 1992

Mesmo os sapatos de “pitões”/pitons/travas evoluíram; hoje temos sapatos com pitons moldados, removíveis para pisos macios ou duros, de acordo com as necessidades dos praticantes (Sejam de futebol, basebol ou futebol americano, rugby ou outros).

Figura nº30 Botas de futebol com tecnologia em forma de escamas para aumentar a potência e controle de bola; Adidas 1994

Ao mesmo tempo existem hoje em dia uma série de categorias de sapatos que não existiam, por exemplo; sapatos para Walking, Fitness, e Andebol, permitindo ao consumidor seleccionar os sapatos de acordo com as suas necessidades específicas.

Figura nº31 Primeiros sapatos com rodas de patins na sola; Heelys, 2000

Uma área que tenderá a evoluir cada vez mais é a área da acomodação, na medida que a geração “baby boom” envelhece (75 milhões de pessoas nasceram entre 1948 e 1964 nos E.U.A.), vai querer sapatos cada vez mais confortáveis, forçando a indústria a procurar novas soluções, como novos materiais ou várias larguras.

A durabilidade das solas foi melhorada na década 80 do século passado e a estrutura superior é cada vez mais constituída por materiais mais leves e com mais apoio.

A sola intermédia é o componente que tem que evoluir mais, as solas intermédias actuais são o elo mais fraco do calçado desportivo, pois são maioritariamente feitas em espumas que tendem a comprimir e perder a eficácia com o uso.

Tecnologias como o Nike Shox são tentativas de reduzir ao máximo a dependência das espumas nas solas intermédias.

Figura nº32 Primeiros sapatos com sola computorizada que ajusta a firmeza da sola intermédia automaticamente, Adidas 2004

Figura nº33 Botas de futebol com tecnologia de redistribuição da massa; Adidas 2004

A volta às origens

No inicio do século assistimos a uma grande tendência; a volta às origens, impulsionada em parte pela grande crise económica mundial de 2008 a sustentabilidade é uma das forças que guia a maioria das marcas, não só por razões ecológicas, mas igualmente por razões económicas, ser ecológico ajuda a poupar o planeta, e em última análise a ganhar dinheiro, assim surgiram marcas cujo focos é a sustentabilidade como a End Footwear, outras marcas repensaram ou reposicionaram o seu foco com grande ênfase no calçado ecológico ou sustentável, como por exemplo a Brooks Footwear. Adicionalmente surgiram os defensores da chamada corrida natural com calçado desenvolvido para os adeptos desse tipo de corrida como as marcas Vibram Five Fingers ou a Newton Running.

Figura nº34 Sapatos com dedos separados; Five Fingers, 2005

 

Figura nº35 Sapatos com integração de sensor de velocidade e distância e medidor de frequência cardíaca; Adidas e Polar 2006

Figura nº36 Sapatos sem espuma na sola intermédia; Nike 2006

Figura nº37 Sapatos com sola intermédia biodegradável (esquerda standard, direita biodegradável); Brooks 2008

Uma inovação refrescante foi os sapatos modulares, calçado que se pode ajusta às necessidades individuais de cada desportista.

Figura nº38 Sistema Modular dos sapatos, permite 648 combinações de ajuste, adequando os sapatos às necessidades individuais de cada desportista; Somnio Running 2009

Figura nº39 Primeiro sapato com tecnologia de amortecimento baseada em fluido não Newtuniano; Brooks 2010

Tal como com a indústria electrónica outra grande tendência foi a integração entre o calçado e outros dispositivos electrónicos como o exemplo Fusion (Adidas e Polar) ou Nike + (Nike, Apple e Polar)

Como a indústria do calçado desportivo é uma indústria de materiais, as grandes revoluções ainda poderão estar por acontecer.

 

 

Breve Cronologia do Calçado Desportivo:

Data

Acontecimento

   
1526 A primeira bota de futebol registada; pertenceu a Henrique VIII
1830 Comercializados os primeiros pares de “plimsolls” (sabrinas ou sapatilhas para ginástica em lona com sola de borracha), no Reino Unido
1832 Wait Webster de Nova Iorque requisita patente de um processo para “aplicar solas de borracha índia em sapatos e botas”
1852 Desenvolvidos os primeiros sapatos com bicos na sola, para correr
1866 Fabricado o primeiro sapato com sola de borracha
1873 Aparece o termo “Sneaker” (equivalente ao “ténis” ou (sapatilha” em português)
1890 Josefh william Foster fabrica sapatos com “Bicos” na sola (mais tarde a sua companhia torna-se na Reebok)
1892 É fundada a “Us Rubber Company”
1897 O catálogo “Sear’s” apresenta “sneaks” de lona branca a 1$ USD
1907 Fundada a São Paulo Alpargatas, em São Paulo, Brasil, detentora entre outras das marcas Havaianas, Topper e Rainha.
1908 Marquês M Converse funda a sua oficina
1909 Aparecem os sapatos de basquetebol em couro
1910 A Spalding introduz os sapatos com “Suction cups”
1914 Fundada em Portugal a Empresa Industrial de Chapelaria, Lda. criadora da marca desportiva Sanjo.
1915 A marinha norte americana encomenda os primeiros “Sneaks” para os soldados “GI”
1917 Aparecem os Keds e os converse ” All Star
1920 O duque de Windsor lança a moda dos sapatos de ténis brancos na sua visita ao E.U.A.
1925 É fundada a ” Gebrüder Dassler Schuhfabrik” (mais tarde daria origem à Puma e a Adidas)
1929 A spalding apresenta o apoio para o arco plantar e a keds solas coloridas
1934 A keds apresenta sapatos de lona coloridos
1935 Os sapatos de lona azul são aceites nos campos de ténis
1942 É desenvolvida a borracha sintética
1948 Adi Dassler funda a Adidas e Rudolph Dassler funda a Puma
1949 Onitsuka Tiger Fabrica os primeiros sapatos desportivos no Japão
1950 Aparecem os ilhós laterais para respiração, Aparecem os pitons de rosca nas botas de futebol (Adidas).
1958 Fundada a Calçados Azaléia S.A em Rio Grande do Sul Brasil, criadora da marca Olimpikus.
1960 A New Balance apresenta o “Trackster” o primeiro sapato de desporto disponível em diferentes larguras.
1968 Começa o “Boom” do calçado desportivo,
1971 Phil knight e Paul Bowerman criam a Nike
1972 A sola “waffle” revoluciona os sapatos de corrida
1976 Lasse Virén, depois de ganhar os 10.000m nos jogos olímpicos de Montreal, descalça-se e acena com os sapatos para a multidão, como forma de mostrar o logótipo da ASICS, tornando-se o primeiro acto do tipo, causando polémica.
1979 A Nike Introduz a tecnologia de amortecimento “AIR”
1981 A Reebok apresenta o primeiro sapato desportivo (aeróbica) para senhora.
1988 A Adidas introduz a tecnologia Torsion, Uma barra em termoplástico que estabiliza a passada durante o apoio com o chão.
1989 A Reebok lança o Pump por 175$ Usd o par
1991 A Puma apresenta a tecnologia Disc
1992 A Nike introduz a tecnologia Huarache (sapatos com uma meia embutida em neoprene)
1993 A Nike apresenta o programa Reuse-A-Shoe, que desfaz calçado utilizado para fabricar pavimentos para recintos desportivos
1994 A Adidas apresenta uma bota de futebol com a tecnologia predator; aplicações em termoplástico na gáspea da bota aumentando a potência e controle no remate
2000 A Nike introduz um conceito novo: O Shox (sapatos com colunas em forma de molas)
2000 Roger Adams apresenta um tipo de sapatos revolucionário os Heelys, sapatos com rodas no calcanhar
2004 A Adidas apresenta um conceito revolucionário em botas para futebol; redistribuição da massa, a predator com tecnologia powerpulse, aumentando a velocidade da bola rematada em 5%
2004 A Adidas produz o primeiro sapato com chip na sola intermédia (A1) que modifica a firmeza da mesma automaticamente
2005 O fabricante de solas Vibram lança os sapatos ultraleves e finos com os dedos separados “five fingers”.
2006 A Adidas em parceria com o fabricante de monitores de frequência cardíaca Polar, apresenta o primeiro sapato capaz de aceitar um sensor de velocidade e distância, fazendo parte de um conjunto calçado/ textil / monitor de frequência cardíaca capazes de comunicar com o relógio do usuário. A Nike, juntamente com o fabricante de electrónica Apple, lança um sensor, que colocado nos sapatos de corrida, comunica com o leitor mp3 Ipod nano, indicando dados, como a distância, ou calorias. A Nike lança os sapatos Air 360, tornando-se assim a primeira companhia a fabricar um par de sapatos desportivos cujo amortecimento da sola intermédia é totalmente não baseada em espumas.
2007 Isaac Daniel é um inventor Norte-americano lançou uma linha de calçado desportivo com GPS incorporado, este calçado permite ao usuário utilizar um botão de “Panico” caso esteja em situações de perigo.Lançada a Newton Running, a primeira marca de calçado para corrida com sola rácio zero (sola intermédia com pouca ou sem cunha na relação entre o ante pé e o calcanhar).
2008 A Brooks Lança a tecnologia BioMogo, um composto da sola intermédia 100% Biodegradável em apenas 20 anos em lugar dos 1000 que tarda uma sola convencional.
2009 Sean Sullivan apresenta o primeiro modelo de calçado modular; marca Somnio Running, permitindo a personalização do amortecimento, cunha varus e altura do arco das palmilhas,
2010 A Brooks apresenta a tecnologia DNA, baseada num fluido não newtuniano adaptando-se ao peso de cada corredor.
Futuro A indústria do calçado desportivo é uma indústria de materiais…

Com todas as marcas, escolhas, materiais e tecnologias que existem hoje em dia, uma escolha acertada é cada vez mais difícil, pois para isso o consumidor teria que ser um verdadeiro perito em tecnologias e materiais e isso não é muito provável.

É aqui que entra este site que pretende reunir numa mesma fonte toda a informação indispensável para melhor compreender o calçado desportivo.

Fonte: http://www.calcadodesportivo.com/historia.htm

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s